quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Guarda-parques irão atuar em incêndios e no salvamento de pessoas.


Treinamento dos novos profissionais deve acontecer em janeiro de 2013.
O Parque Estadual da Costa do Sol, na Região dos Lagos, vai contar com a ajuda de guardas que já fiscalizam toda a área, que tem quase 10 mil hectares. Além de vistoriar todo o território do parque, os guarda-parques também irão atuar no combate a incêndios e no salvamento de pessoas perdidas em trilhas.
Apesar da iniciativa, os guardas assumiram os cargos, mas ainda não receberam nenhum treinamento ou uniformes. O treinamento para informações a turistas, salvamento de pessoas que estiverem perdidas em trilhas e combater a incêndio, só deve acontecer em janeiro de 2013.
No entanto a presença deles, chamou a atenção de quem mora no local. Eles são responsáveis também por orientações sobre a situação dos moradores, desde que assumiram o cargo no dia 05 de novembro.
O reconhecimento da área do parque é feito na maioria das vezes de carro. Na ronda desta quarta-feira (28), eles descobriram um lugar sendo usado como descarte irregular de ossada de animais.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Manifesto em defesa do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, em São Paulo


O Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, também conhecido como Parque do Estado, é uma das últimas e mais importantes áreas de remanescentes de Mata Atlântica da cidade de São Paulo e um importante pólo de pesquisa e desenvolvimento de práticas ambientais.
Em outubro, o governo do Estado de São Paulo encaminhou à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei nº 604/2012, que prevê a construção de um mega empreendimento em parte dessa área.
Diversas entidades da Sociedade Civil estão assinando um manifesto contra este retrocesso às políticas de preservação, conservação e manutenção do meio ambiente em São Paulo, definido no documento como “um dos maiores equívocos desta gestão”.
A Fundação SOS Mata Atlântica também assina o documento.Confira o texto:

MANIFESTO

O governo do Estado de São Paulo encaminhou no último dia 17 de outubro, à Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei nº 604/2012 que pretende desafetar uma imensa área de 400 mil metros quadrados, com o objetivo de construir, através de concessão à iniciativa privada, um megaempreendimento.
O poder executivo alega que a cidade de São Paulo é uma referência no seguimento de feiras e exposições na América Latina, contudo, segundo o governo, São Paulo tem perdido espaço para cidades como Rio de Janeiro e Buenos Aires. Alega ainda, que a cidade carece de espaços adequados para a realização de mega eventos, apesar de termos pelo menos três grandes arenas de clubes de futebol, sendo duas em construção, o Parque Anhembi, além de diversas casas de shows.
Aproveitando o fim da concessão do Centro de Exposições Imigrantes que se encerrará em março de 2013, o governo do Estado de São Paulo, pretende estender a nova concessão por mais 30 anos e dobrar a área ocupada hoje por este pavilhão. Sustenta-se, inclusive, através de um parecer da Secretaria Estadual de Meio Ambiente que a referida área está descaracterizada como parque, apesar desta área estar exatamente como na época de aprovação do Plano de Manejo.
O fato é que o governo apresenta neste projeto de lei, um dos maiores equívocos desta gestão, um verdadeiro retrocesso às políticas de preservação, conservação e manutenção do meio ambiente, que vem sendo propagado no Brasil e no mundo. Com esta proposta o governo do Estado de São Paulo vem na contramão do que se imagina como política pública voltada ao desenvolvimento sustentável.
O Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, também conhecido como Parque do Estado, é uma das últimas e mais importantes áreas de remanescentes de Mata Atlântica da cidade de São Paulo e um importante pólo de pesquisa e desenvolvimento de práticas ambientais.
Não somos contra o desenvolvimento econômico da cidade de São Paulo, muito pelo contrário, entendemos que empreendimentos como este podem trazer novas oportunidades para a cidade e seus habitantes, contudo somos terminantemente contra a implantação em uma área pertencente a uma Unidade de Conservação, como o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga. São projetos executados desta maneira, sem o devido planejamento, que transformaram São Paulo em uma das cidades com crescimento mais desordenado do mundo.
O Manifesto em Defesa do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, ratificado pelas instituições abaixo assinadas, convoca a sociedade civil para intervir na decisão do governo do Estado de São Paulo em reduzir a área de um dos parques mais importantes da cidade de São Paulo, de modo que o Projeto de Lei nº 604, de 2012 não seja aprovado.
São Paulo, 16 de novembro de 2012


Todos os 39 agentes prometem ficar acampados em frente ao Palácio Piratini à espera de uma negociação com o governo


Todos os 39 guarda-parques do Rio Grande do Sul estão paralisados desde a manhã desta terça-feira. Eles realizam protesto em frente ao Palácio Piratini, na Capital, e prometem ficar acampados por lá até que o governo os receba para iniciar uma negociação. A categoria pede a implantação de um plano de carreira com isonomia e melhores condições de trabalho.
Os agentes das 24 Unidades de Conservação, ligados à Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), reivindicam também uma gratificação por risco de vida. Segundo Luciano Menezes, um dos líderes da manifestação, entre as práticas dos servidores está a fiscalização e detenção de caçadores armados e madeireiras ilegais.
— Além disso, fazemos combate a incêndios nas florestas. O que equipara nosso trabalho ao do Corpo de Bombeiros, que recebe a gratificação. Já existe um projeto de lei tramitando, estamos cobrando que o governo o regulamente — explica Menezes.
Entre as outras reivindicações dos guarda-parques estão o porte de armas, fornecimento de uniformes funcionais, coletes à prova de balas, cursos de formação específica e aquisição de viaturas, barcos e equipamentos de fiscalização.
Contraponto:
O que diz o diretor administrativo da Secretaria do Meio Ambiente, Saulo Felipe dos Santos
Concurso público: foi criado um grupo de trabalho para percorrer as 23 Unidades de Preservação e buscar a demanda real de cada local. Feito isso, a Sema irá montar um esboço do edital do concurso, que deve ser lançado no início de 2013;
Coletes à prova de bala: já foram comprados e aguardam liberação do Exército desde o dia 27 de agosto. Segundo a Sema, os guarda-parques foram informados da chegada dos coletes;
Uniformes: estão em fase final de licitação. Um dos motivos do atraso foi a intenção da Sema em contemplar as demandas dos guarda-parques;
Gratificação: a Sema lembra que as funções do guarda-parque são de receber e informar as pessoas que visitam as unidades sobre trilhas e as práticas nos locais. A categoria, segundo a Sema, não atua como polícia ostensiva. Assim como em incêndios, o agente deve realizar o primeiro atendimento e depois repassar o incidente à corporação. O novo código florestal ainda dificultaria porte de armas, segundo a Sema, que estuda mecanismos que possam respaldar o uso de armamento;
Plano de carreira: a Sema está encaminhando a discussão junto à Secretaria de Administração e à Casa Civil a fim de encontrar uma melhor maneira de beneficiar os agentes.

FONTE:http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2012/11/guarda-parques-paralisam-atividades-por-plano-de-carreira-gratificacao-e-melhores-condicoes-de-trabalho-3964034.html   

Profissionais criticam gestão da Secretaria Estadual do Meio Ambiente


Os quase 40 guarda-parques do Rio Grande do Sul realizaram na manhã desta terça-feira uma manifestação em frente à sede da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), na rua Carlos Chagas, no Centro de Porto Alegre. A ideia foi chamar a atenção da população para o descaso da administração da Sema com os profissionais. Para simbolizar o movimento, eles queimaram parte do uniforme, que deveria ser concedido pelo órgão, mas foi comprado por cada servidor.
Eles reivindicavam, por exemplo, a compra de viaturas, barcos e equipamentos de segurança. Outra solicitação era a definição sobre o porte de armas, que passou a ser proibido com a aprovação do novo Código Florestal. Segundo o guarda-parque Luciano Menezes, a utilização de armas é fundamental para garantir o serviço de fiscalização de proteção das áreas, da fauna e flora. Isso porque muitas vezes esses servidores precisam enfrentar caçadores ilegais.
Os servidores também protestaram contra a gestão da Sema. De acordo com Menezes, há falta de preocupação com a gestão ambiental no Estado, como a promoção da educação ambiental, vistorias e fiscalização. “O trabalho da Sema está esvaziado. Há muito interesse político e econômico”, afirmou ele.
Outra reivindicação é com a defasagem do quadro de pessoal. Atualmente, há 39 servidores nesta função, sendo que o ideal seria 210. Eles atuam nas 23 unidades de conservação, entre elas os parques do Delta do Jacuí (Porto Alegre), o Itapuã (Viamão), Itapeva (em Torres), Turvo (Derrubadas); e Tainha (São Francisco de Paula). O diretor administrativo da Sema, Saulo Felipe dos Santos, contestou esse dado. Ele lembrou que na semana passada foi formado um grupo de trabalho para analisar a real demanda de profissionais neste setor. “O grupo foi criado para percorrer as unidades e fazer o levantamento da real necessidade de funcionários. Depois disso a secretaria ira esboçar o edital do consurso que deverá ser lançado no início de 2013."
Em relação às armar, o diretor lembrou que a atividade primeira dos guarda-parques é receber e passar informações aos frequentadores do parque além de prestar o primeiro atendimento a ocorrências nessas áreas, como incêndios. "Eles não atuam como polícia ostensiva." Assim, a utilização de armas é no intuito de segurança pessoal.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Consevação da Natureza: Doadores brasileiros ajudam a criar mais 3 reservas p/salvar a MATA ATLÂNTICA



Foram criadas mais três RPPNs (Reserva particular do Patrimônio Natural), em Itaiópolis (SC), nas cabeceiras do rio Itajaí, totalizando uma área de 345,71 ha, que fica adjacente às RPPNs já existentes, aumentado para 855,89 ha a área protegida por  unidades de conservação da natureza (federais), que está sendo salva para as gerações futuras.
Estas RPPNs abrigam uma riquíssima biodiversidade de animais, com muitas aves e mamíferos grandes muito raros e ameaçados de extinção. Está repleta de gigantescas arvores centenárias também ameaçadas de extinção. Além disso, protegem as nascentes e dezenas de quilômetros de matas ciliares do rio Itajaí, beneficiando a população de Blumenau. Se não tivessem sido compradas por nós, teriam caído nas mãos de investidores e desmatadas para reflorestamento de eucalipto.
Veja as belíssimas imagens e saiba todos os detalhes desta iniciativa para salvar o que resta da Mata Atlântica, abrigo para milhares de animais, neste link:

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Os peixes pedem socorro


Batia água quando a guarda do Parque colocou o barco no rio Uruguai, na tarde do último dia do mês de outubro passado. O rio espremido entre a mata nativa brasileira e da província de Missiones na Argentina, bufava e descia caudaloso rumo à bacia do Prata. As últimas chuvas tinham tirado o rio fora da caixa e agora estava com seis metros acima do nível normal. A navegação nestas condições, rio cheio e chuva direta, é perigosa e exige barco bom e motor potente. O Barco de alumínio de 7 metros com motor de 25 HP, com o Leandro - gestor do parque - e os guardas Irã e Vilmar, embicou no poço do Garcia, em direção ao salto do Yucumã rio acima, às 15 horas daquela terça-feira chuvosa.
Averiguavam uma denúncia anônima, que informara da presença de pessoas suspeitas dentro dos limites do parque. Uma cortina de chuva dificultava a visibilidade, e a cavalaria do Yamaha roncava a força máxima nas corredeiras, fazendo o barco trepidar. Ondas violentas batiam contra o casco do barco, cuja proa empinava, para depois cair nos buracos que se abriam nos redemoinhos da enchente.
Ao cruzarem a corredeira das telhas começaram a avistar os primeiros indícios de material de pesca no rio. A chuva tinha diminuído e uma neblina cinzenta se despregava das águas turvas do rio Uruguai.  O Parque do Turvo é uma Unidade de Conservação de proteção integral, onde a caça e a pesca são proibidas SEMPRE. O período de Defeso da Piracema, - época da reprodução dos peixes – iniciou dia primeiro de outubro de 2012 e se estende até dia 31 de janeiro de 2013, e neste período a proibição da pesca abrange toda bacia do rio Uruguai.
Somente nesta patrulha foram apreendidos 4.800 m (quatro mil e oitocentos metros) de redes que aprisionavam, em torno de 120 quilos de peixes, das espécies de grumatã e dourado. Estes 32 exemplares de peixes foram devolvidos ao rio. Todos apresentavam o ventre estufado devido às ovas que continham. Cada matriz destas da origem a milhares de alevinos.
Os estoques de pescado no rio Uruguai, decrescem ano após ano, por causa destas pessoas gananciosas e inescrupulosas, que praticam estes atos predatórios colocando em risco a sobrevivência das espécies e do ecossistema com um todo. Somente neste ano já foram retirados do rio Uruguai mais de vinte e cinco mil metros de redes e trinta mil metros de espinhéis, no trajeto compreendido entre a corredeira do macaco até a foz do rio Turvo.
A fiscalização/patrulhamento é executada, com rigor, pela Patram, pela Brigada Militar de Derrubadas sempre em parceria e orientação da Chefia e Guardas do Parque do Turvo, que se desdobram nesta época do defeso da piracema, mas ainda assim insuficientes para conter a fúria predatória dos gananciosos.
Precisamos construir uma rede de proteção ambiental, com pessoas conscientes e preocupadas com o meio ambiente, alertas e vigilantes, questionando, instruindo e denunciando qualquer procedimento de ataque a espécies da flora ou fauna.
Portanto sempre que verificar atos de agressão ao meio ambiente exerça seu direito: Denuncie.  Você tem o dever de ajudar a preservar o meio ambiente, a biodiversidade, a vida e o planeta terra.
Pode ligar grátis para: 9090.8407.6806

COLABORE SUA ATITUDE É IMPORTANTE

Eng. Agr. Telmo J. Rosa Lopes -Técnico Ambiental - Parque do turvo

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Patrimônio ameaçado: Jureia está em risco

Nesta terça-feira (23/10), às 10h, será realizada uma audiência pública sobre a Estação Ecológica (ESEC) da Jureia, área de Mata Atlântica declarada Reserva da Biosfera em 1991 e considerada um Patrimônio Mundial Natural desde 1999. A preservação dessa área de quase 80 mil hectares ocorreu em boa parte pelo fato de a região ter sido transformada em Estação Ecológica em 1986. Essa categoria de unidade de conservação (UC) não permite que pessoas vivam dentro da área, mas havia uma população tradicional e casas de veraneio no local que até hoje não foram retiradas ou indenizadas pelo governo. Agora, porém, há o risco de uma modificação na categoria da UC pelo Poder Legislativo, que tornará a área menos protegida. A SOS Mata Atlântica alerta que a iniciativa pode gerar um grave precedente. “A mudança da categoria de Estação Ecológica na Jureia, por iniciativa do Poder Legislativo, é uma grande ameaça a todas as unidades de conservação do país. A competência para criar, desafeitar e categorizar uma UC é do Poder Executivo, no caso do Estado. Além disso, a discussão sobre alterações ou criação de unidades de conservação deve levar em conta critérios técnicos e legais e, principalmente, os atributos ambientais, naturais e patrimoniais da área, que apontarão sua vocação e categoria”, afirma Malu Ribeiro, coordenadora de projetos da Fundação SOS Mata Atlântica.

Aniversário de 15 anos da APA Costa dos Corais

A Área de Proteção (APA) Costa dos Corais completa amanhã (23/10), 15 anos de sua fundação. Situada ao longo de 135 km de costa entre os municípios de Tamandaré (PE) e Paripueira (AL), a APA é a maior unidade de conservação federal marinha em extensão e a primeira a incluir recifes costeiros. Engloba áreas de manguezais e seus estuários em cerca de 30 km em direção ao mar aberto até a quebra da plataforma continental. A SOS Mata Atlântica atua na conservação dessa importante área, em parceria com a Fundação Toyota do Brasil e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), através do Fundo Toyota APA Costa dos Corais. A iniciativa visa garantir a proteção, gestão e sustentabilidade dessa área, através de apoio para o fortalecimento e a gestão da unidade, suporte para ações de monitoramento e fiscalização ambiental, capacitações de equipe e fornecimento de recursos.

IPÊ e WWF-Brasil lançam livro sobre capacitação em gestão de Unidades de Conservação

O IPÊ e o WWF-Brasil lançaram, na tarde da segunda-feira, 24 de Setembro, o livro “Gestão de Unidades de Conservação: compartilhando uma experiência de capacitação”. O evento ocorreu como parte da sétima edição do Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação (CBUC), em Natal (RN). A publicação, possui 398 páginas, está dividida em 5 capítulos e foi escrito por 27 autores, grande parte deles cientistas e pesquisadores envolvidos em trabalhos conservacionistas.
 
“Gestão de Unidades de Conservação: compartilhando uma experiência de capacitação” reúne uma série de documentos alusivos a um projeto desenvolvido de forma pioneira pelo Ipê e pelo WWF-Brasil entre 2004 e 2010. Neste período, as duas instituições estruturaram um curso de formação para gestores de Unidades de Conservação na Amazônia que tinha como objetivo ajudar na capacitação desses gestores - à época, muitos deles nunca haviam participado de iniciativas como essa.
O projeto foi muito além do previsto. Ao longo de seus seis anos de realização, vários números superlativos foram registrados. Por exemplo: foram 20 cursos, desenvolvidos em módulos; 425 gestores capacitados; 184 áreas protegidas contempladas; e os nove estados amazônicos brasileiros acabaram envolvidos neste processo. Entre outros temas, foram discutidos manejo, conservação, proteção e pesquisa em Unidades de Conservação; Turismo; Educação Ambiental; Administração Pública; Sustentabilidade Financeira; Participação Social e Comunitária; e Legislação Ambiental.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Parque Natural Municipal Trabiju


Biodiversidade do Parque Natural Municipal Trabiju, Pindamonhangaba, Interior de São Paulo. Conhecer para Conservar. Este parque atualmente conta com oito Guarda-parques para lograr seus objetivos de conservação e manejo. Parabéns a estes novos colegas. (Começaram no inicio do ano 2012) Bem-vindos a grande família dos Guarda-parques.
 

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Contratação de um gerente executivo na Fundação Ecotrópica, Cuiabá

Caros amigos,
A Fundação Ecotrópica elaboro os termos de referência para contratação de um gerente executivo na Fundação Ecotrópica/ Cuiabá MT, instituição que atua há mais de 20 anos pela conservação do Pantanal e administra 4 RPPNs na divisa de MT e MS. A vaga destina-se a pessoas com formação em biologia e áreas afins, com capacidade para coordenar equipes, tocar projetos e realizar articulação com parceiros.

 A necessidade de contratação é urgente. Caso conheçam interessados, por favor encaminhem os currículos.
 
Mais informações: www.ecotropica.org.br
 

O IPÊ ‐ Instituto de Pesquisas Ecológicas contrata profissional recém-formado para atuar em projetos de gestão de áreas protegidas

RESPONSABILIDADES:
Este profissional fará parte de uma equipe que desenvolve estudos de criação e planejamento de áreas naturais protegidas e auxiliará a coordenação geral dos projetos em atividades como:
- Apoio a atividades de diagnóstico e planejamento de áreas naturais.
- Pesquisa, compilação de dados e geração de relatórios sob a orientação da coordenação dos projetos.
- Auxilio na organização de atividades de campo da equipe, reuniões e oficinas participativas.
- Coleta de dados em campo sobre infraestrutura, equipamentos, recursos e atividades apropriadas ou inapropriadas desenvolvidas em áreas naturais.
PRÉREQUISITOS:
- Formação acadêmica na área ambiental.
- Disponibilidade para realização de atividades de campo e viagens esporádicas.
- Facilidade em redigir textos e domínio de ortografia e gramática.
- Não há necessidade de residir em Nazaré Paulista – SP, porém o profissional tem que ter possibilidade de realizar encontros periódicos com a equipe na sede do Ipê.
- Facilidade em trabalhar em equipe e desenvolver várias atividades concomitantemente.
- É desejável que o profissional tenha experiências e/ou cursos relacionados à gestão de áreas protegidas.
- Familiaridade e interesse em se capacitar em temas relacionados a unidades de conservação e terceiro setor.
- Capacidade de leitura e compreensão de textos em inglês.
- Disponibilidade para início imediato.
CANDIDATURA:
Os interessados deverão submeter curriculum por e‐mail para: rh@arvorar.com  com o título “Áreas Protegidas”. O prazo para o envio das candidaturas se encerrará em 20 de outubro de 2012. Após essa data os candidatos pré‐selecionados serão contatados para entrevistas.
 
 

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Curso de Planejamento e Manejo de Áreas Naturais Protegidas na Reserva Natural Vale

Entre 19 e 23 de novembro será realizado o primeiro Curso de Planejamento e Manejo de Áreas Naturais Protegidas na Reserva Natural Vale, ministrado por Adriano Lopes de Melo. São 20 vagas e as inscrições podem ser feitas por e-mail ou telefone. Maiores informações seguem no convite abaixo. Contamos com sua presença!


Brasil recebeu prêmio internacional “Jovem Conservacionista pela primeira vez”

Por sua contribuição para a proteção dos espaços naturais da Amazônia e por seu envolvimento em projetos de educação ambiental e desenvolvimento comunitário, Elisangela Sales, funcionária da Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam), recebeu, o reconhecimento internacional. A jovem de 27 anos foi a primeira brasileira a ser selecionada como ganhadora oficial do prêmio Jovem Conservacionista do ano 2012, que neste ano chega a sua quarta edição e é uma iniciativa conjunta da Federação Internacional de Guarda-parques (FIG) e da Comissão Mundial de Áreas Protegidas da União Mundial para a Conservação Internacional da Natureza (IUCN/WCPA).
Elisangela, filha de ribeirinhos, é guarda-parque e tem atuado por quase dez anos em projetos de conservação em terras indígenas e comunidades da Amazônia. Na Ecam, uma de suas principais atuações é a formação de guarda-parques e de agentes ambientais indígenas. “Desde cedo estou envolvida na floresta, então, não tem como ficar longe de minha origem, mas nunca imaginava receber um prêmio dessa magnitude. Apenas me dedico e ajudo da melhor forma possível, tentando contribuir na conservação e preservação das áreas protegidas”, afirma.
Além do reconhecimento, Elisangela ainda fará parte do grupo da IUCN “Jovens Profissionais”, em que poderá difundir seu trabalho e compartilhar as suas experiências na conservação das áreas protegidas da região Amazônica. “Espero contribuir de alguma forma para o reconhecimento dos guarda-parques, especialmente na divulgação das ações que são feita no Brasil, pois assim como eu, dedicam suas vidas as áreas protegidas e as comunidades tradicionais”, explica.
 
Estabelecido em 2003, o prêmio tem como objetivo reconhecer e tornar conhecidas as contribuições excepcionais de jovens de todo o mundo para a conservação das áreas protegidas e que mostrem seu esforço, paixão, dedicação e compromisso. A entrega da premiação aconteceu no dia 6 de setembro, na cidade de Jeju, na Coréia do Sul, durante o Congresso Mundial de Conservação.

Fonte: ECAM


Curso de Formação Básica de Agentes Ambientais Indígenas do Corredor Etnoambiental Kagawhiwa.

Cerca de 20 alunos participaram do curso de Formação Básica de Agentes Ambientais Indígenas do Corredor Etnoambiental Kagawhiwa, que aconteceu no Centro de Treinamento de Cultura da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé, em Porto Velho (RO) entre os dias 20 de Agosto e o 08 de Setembro. A iniciativa é uma atividade do Consórcio Garah Itxa, financiada pela Agência de Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos (USAID) e Fundações Skoll e Avina, e está sendo organizada pela Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam).

Os alunos indígenas fazem parte das etnias Parintintin, Jiahui, Tenharin e Guarani. Dentre as disciplinas a serem estudadas estão: Equipamentos e materiais para expedições, vigilâncias e monitoramento; Fauna silvestre; Gestão de áreas protegidas e sobreposição em terras indígenas; Resíduos sólidos em terras indígenas; Legislação indígena; Agroflorestais e agroextrativismos; Cartografia; Educação Ambiental e Interpretação Ambiental; Primeiros Socorros; Resgate Noturno; Combate e Manejo do Fogo; Prevenção ao uso indevido de drogas lícitas e Ilícitas; Introdução a GPS; Noções básicas de trânsito em BR e rodovias, entre outros.
De acordo com o coordenador técnico da Ecam, Wesley Pacheco, o curso é uma importante ferramenta para aumentar a proteção das terras indígenas e a implementação dos planos de proteção territorial que algumas aldeias possuem. “Os módulos abordados permitem aos participantes do curso uma visão geral da conservação para contribuir para a minimização dos problemas ambientais locais e a realização de ações de controle e redução dos riscos dos seus territórios”, explica.

A Ecam possui um histórico de sete anos na organização e desenvolvimento de cursos de guarda-parques/agentes ambientais em alguns estados no norte do Brasil, como Amapá e Rondônia, sempre com foco na proteção territorial e no contexto indígena. No total, foram formados mais de 300 alunos indígenas e não indígenas. Para o curso deste ano foi feita uma reformulação no formato, disciplinas, carga horária, entre outros, de forma a atender melhor às necessidades dos indígenas. “As mudanças aconteceram a partir das decisões tomadas no seminário interno que organizamos em abril deste ano, em que fizemos reflexões sobre a metodologia da formação e melhorias para a nossa formação”, avalia Wesley. Além disso, foram convidados representantes e parceiros do movimento indígena que colaboraram com uma nova concepção de trabalho com o objetivo de aumentar a eficiência do aprendizado.
Para Osvaldo Barassi Gajardo, coordenador do projeto “Guarda-parques ECAM – FIG”, diante da crítica situação que se encontram os guarda-parques no País com a falta de equipamentos, uniformes, condições de trabalho inadequadas e o esquecimento por parte das autoridades locais, o curso organizado pela Ecam é uma excelente ferramenta para o fortalecimento da categoria. “Sabemos que ainda há muito a fazer, mas o mais importante é que existe força, união e o desejo dos guarda-parques em melhorar, se capacitar e cumprir com boas práticas na gestão das Unidades de Conservação”, explica.

Além da Ecam, fazem parte do Consórcio Garah Itxa as seguintes organizações: Associação de Defesa Etnoambiental (Kanindé), Associação Metareilá do Povo Indígena Surui, Conservação Estratégica (CSF) e Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB). Também apoiam a iniciativa Corpo de Bombeiros, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental de Rondônia (Sedam), Faculdade São Lucas, Batalhão Ambiental e Federação Internacional de Guarda-parques (FIG).
Sobre o Corredor Etnoambiental Kagawhiwa

O Corredor Etnoambiental Kagawhiwa compreende uma faixa territorial de um milhão e 500 mil hectares, que abrange terras nos estados de Rondônia e Amazonas. Ao todo habitam no local cerca de 1.500 indígenas, que estão divididos nas quatro etnias participantes do curso. Eles estão distribuídos em seis aldeias: Ipixuna, Nove de Janeiro, Piraha, Sepoti, Jiahui e Tenharin Marmelos.

Fonte: ECAM

terça-feira, 31 de julho de 2012

Feliz dia dos Guarda-parques

Feliz dia a todos os Guarda-parques do Brasil no Dia Internacional dos Guarda-parques promovido pela Federação Internacional de Guarda-parques. Hoje é um dia para lembrar aos caídos em serviço, mas também para lembrar a todos os que trabalham dia a dia e estão trabalhando hoje na proteção dos recursos naturais e culturais do Brasil.
Um forte abraço a todos os Guarda-parques no seu dia, convidamos a sentir-se parte deste movimento.


segunda-feira, 30 de julho de 2012

31 de Julho, dia de lembrar aos que tiveram que partir


Neste próximo dia mundial dos Guarda-parques, 31 de Julho, lembramos a todos aqueles que têm pagado o preço mais alto pela proteção dos mais apreciados e belos recursos naturais e culturais do mundo. Vocês não serão jamais esquecidos.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Elizangela Sales ganha o premio internacional “Jovem Conservacionista” 2012

Elizangela Sales dos Santos (25 anos) foi selecionada como ganhadora oficial do premio Jovem Conservacionista do ano 2012 pela sua contribuição na proteção dos espaços naturais da Amazônia e seu envolvimento em projetos de educação ambiental e desenvolvimento comunitário. Elizangela é Guarda-parques e Professional da organização Equipe de Conservação da Amazônia (ECAM) ONG que tem atuado por quase dez anos em projetos de conservação em terras indígenas e comunidades da Amazônia, tendo como uma de suas linhas de atuação principal a formação de Guarda-parques e agentes Ambientais Indígenas.
O premio Internacional Jovem Conservacionista é uma iniciativa conjunta da Federação Internacional de Guarda-parques (FIG) e da Comissão Mundial de Áreas Protegidas da Union Mundial para a Conservação Internacional da Natureza (IUCN/WCPA). O premio foi estabelecido no ano 2003 e se há apresentado em quatro ocasiones. O objetivo do premio é reconhecer e dar a conhecer as contribuições excepcionais dos jovens à conservação das áreas protegidas, honrando seu esforço, paixão, dedicação e compromisso.
O premio se apresentara no Congresso Mundial de Conservação que se celebrara na cidade de Jeju, Coreia do Sul, no dia 06 de Setembro do ano 2012. Elizangela Sales como ganhadora desse premio deverá viajar a Coreia em donde ademais de receber esse reconhecimento formara parte do grupo da UICN “Jovens profissionais” onde poderá difundir seu trabalho e compartilhar as suas experiências na conservação das áreas protegidas da região Amazônica.
Este reconhecimento a Elizangela é sem duvida também um reconhecimento para a ECAM, para os Guarda-parques e principalmente para o Brasil.



terça-feira, 10 de julho de 2012

Visita Técnica Rio Grande do Sul

Durante os dias 04 – 08 de Julho, realizou-se uma visita técnica ao Estado de Rio Grande do Sul com o principal objetivo de apresentar a grupos de interesse algumas informações da historia e objetivos da Federação Internacional de Guarda-parques (FIG) e da Metodologia de treinamento de Guarda-parques da Equipe de Conservação da Amazônia (ECAM). Graças à coordenação dos Guarda-parques estaduais Sres. Alexandre Gomez e Luciano Menezes foram possíveis realizar reuniões com o Sindicato de Funcionários Públicos do Estado (Ver  entrevista no link), Equipe de planejamento da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Diretor de Florestas e Unidades de Conservação e Guarda-parques em geral. A ideia e poder realizar futuramente alguma versão do curso de capacitação desenvolvido pela ECAM na região Amazônica e fazer a integração com os planos de capacitação dos Guarda-parques do Estado.
Durante a estada foi possível percorrer algumas Unidades de Conservação do Estado e intercambiar ideias, escutar as demandas, conflitos e fortalezas dos Guarda-parques do Estado. Visitaram-se as Unidades: Parque Estadual Delta do Jacuí; Parque Estadual Itapuã e Refugio de Vida Silvestre Pacheco dos Banhados.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Organização procura candidatos a "Research Fellowship Program" para pesquisa em RPPN do estado de SP

Organização procura candidatos com o perfil abaixo descrito para parceria de pesquisa (campo) em RPPN paulista.
"O Programa é um pequeno programa de bolsas destinado a aumentar a capacidade de geração de conservacionistas, apoiando projetos individuais de pesquisa de campo que têm uma aplicação clara para a conservação da fauna ameaçada e lugares selvagens (wild places). Coletivamente, os profissionais que recebem essas bolsas devem utilizar metodologia de campo testada, de ciência de conservação, para os desafios que o ambiente enfrenta.
Nos últimos anos, o Programa foi re-projetado com foco no apoio ao trabalho diretamente relacionado a terras / ambientes marinhos prioritários, espécie e / ou iniciativas globais de saúde da vida selvagem, alterações climáticas, serviços ambientais / pagamentos por serviços ambientais e gestão dos recursos naturais. Informações específicas sobre estes temas poderão ser depois fornecidas aos que enviarem sua manifestação de interesse.
Os candidatos devem ser cidadãos de países em desenvolvimento, ou seja, qualquer país não definido como uma "economia de alta renda" pelo Banco Mundial em http:data.worldbank.org/about/country-classifications/country-and-lending-groups
O Programa visa apoiar o trabalho de campo da pós-graduação (Mestrado e Doutorado, incluindo Doutorado em Veterinária); no entanto, serão aceitas candidaturas de todos os conservacionistas nas fases iniciais da sua carreira. Os candidatos aprovados irão trabalhar com a equipe do Programa na América Latina.
Áreas Temáticas:
- Ecotourism;
- Community-based Conservation."
O que procuramos?
-Candidato(a)s com este perfil:
-Aluno(a) matriculado(a) ou em vias de se matricular em Mestrado ou Doutorado relacionado ao meio ambiente;
-Aluno(a) com orientador oficial ou possibilidade de obter, em tempo hábil, uma carta de garantia de orientação no curso de pós;
-Profissional com interesse efetivo e, preferencialmente, experiencia prévia em uma das 2 áreas temáticas citadas;
-Indivíduo pró-ativo, organizado, com leitura fluente em Inglês; com disponibilidade e disposição para fazer este pedido de bolsa em tempo hábil (até 1 0 de julho de 2 0 12) e para desenvolver pesquisa de campo em uma das áreas temáticas do Programa E em um dos locais de nossas parcerias - bioma da Mata Atlântica;
-Manifestação de interesse até 0 6 de julho de 2 0 12. Para Manifestação de Interesse, enviar para este e-mail:
a) um currículo resumido (2-3 pg.)
b) indicação da área temática e tema específico de interesse de seu estudo (espécie, local)
c) se possível, encaminhar pré-projeto com objetivos, metodologia e cronograma preliminares;
d) os links ou arquivos de suas principais publicações na área.
Se não houver interesse favor divulgar a potenciais interessados. Grata pela atenção.
Ana Isabel Bruzzi
OFFICIO & Ambiente S/C Ltda.
R. Pres. Alves 1387 - 8o. - 84
13 0 91-1 0 7 Campinas - SP
BRASIL
skype: anaisabelbbp

terça-feira, 26 de junho de 2012

Mais de 1.000 Guarda-parques têm perdido a Vida

Mais de 1.000 Guarda-parques têm perdido a vida em suas funções no mundo nos ultimos 15 anos, só na Republica Democrática do Congo essa cifra chega a quase 200. Precisamos de medidas urgentes para assegurar a proteção dos protetores.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Evento Promovido pela Fundação Boticario sobre Pagamento por Serviços Ambientais


Na Rio + 20 a Fundação Grupo Boticário de Proteção à natureza apresenta o Projeto Oásis, uma iniciativa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) com o objetivo de proteger áreas naturais e estimular a adoção de boas práticas do uso do solo por meio de premiações financeiras. Confira a programação.

Creación, gestión e integración de Áreas Protegidas de Montaña en Brasil y Mundo Andino

Organizado por Crescente Fértil e Mosaico Mantiqueira
Día 18 de junio, de las 13 a 15 horas, en el “Pabellón de Montañas”, Parque de los Atletas, Rio de Janeiro - Rio+20 http://pavilion.minam.gob.pe/es
*Temas de discución y debates coordinados:*
- Historia de las unidades de Conservación de montaña e integración de gestiòn proporcionada por los Mosaicos, en especial de la sierra Mantiquera, por Cecilia Serrano, Fundación Florestal.
- Gestión de las Áreas Protegidas de uso sustentable a partir de la experiencia de APA de Mantiquera por Julio Botelho, Área de Protección Ambiental (APA) de la sierra Mantiquera de Brasil.
- Historia de la Fuerza – Tarea Mantiquera por Alexandra Andrade, Instituto Oikos de Agroecologìa de Brasil.
- Perspectivas para la conservación de las montañas del estado de Sao Paulo: Mantiquera – Bocaina – Sierra de Mar – José Pedro Costa, profesor de la Facultad de Arquitectura e Urbanismo de la Universidad de Sao Paulo – USP – Brasil.
- El papel de los montañistas para la conservación y la gestión de Áreas protegidas - Silvério Nery, Confederación Brasileira de Montañiismo y escalada – CBME – Brasil.
- Gestión compartida de Áreas Protegidas Alejandro Brown – Asociación Pró-Yungas –Argentina.
- Proyecto Cumbres-Costa, Funciones de montañas protegidas - Maria Elena Foronda, Instituto de Montaña – Peru.
- Gestión de territorios de montaña en los Andes - Christian Devenish, Condesan – Peru.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Celulares com Android monitoram níveis de carbono na Amazônia

O Carbono Surui se tornou o primeiro grupo indígena a ter direito de vender compensações de carbono.
A tribo Surui, na região amazônica, está usando celulares com o sistema Android e a tecnologia do Google Earth para monitorar os níveis de carbono e o desmatamento da floresta, segundo um vídeo divulgado pela gigante das buscas. Segundo o blog Mashable, o Carbono Surui se tornou, no último mês, o primeiro grupo indígena a ter direito de vender compensações de carbono. “Iniciamos o treinamento com eles em 2008”, lembra Rebecca Moore, gerente do Google Earth. “Nós os ensinamos a colocar o mapa cultural da tribo no Google Earth e compartilhar isso com o mundo”, conta.
Vasco van Roosmalen, do time de conservação da Amazônia, explica que foram espalhados aparelhos com Android entre os índios, para facilitar o processo de coleta de informações da medição do carbono.
“É preciso medir o quanto se está prevenindo que vá à atmosfera”, explica Roosmalen. O projeto envolvendo o Google e os Surui se chama Projeto Carbono Surui.

Fonte: G1

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Oficina de Serviços Ambientais

Durante os dias 07 e 08 de Março do presente ano no Centro Vida Nova, localizado em Macapá, Estado de Amapá, realizou-se a Oficina de Serviços Ambientais dirigidos a Guarda-parques já formados pela ECAM. O principal objetivo da oficina foi a de promover o conhecimento e debate acerca das mudanças climáticas e os serviços ambientais destacando o papel fundamental do estado do Amapá e suas Unidades de Conservação, a metodologia proposta se baseou em vídeos interativos, apresentações em data show e dinâmicas de trabalhos grupais. A divisão dos conteúdos foi feita considerando aspectos tais como Clima e Florestal, introdução ao pago por serviços ambientais, princípios básicos do REDD+ e considerações sócias ambientais e financeiras. No total participaram 20 estudantes. A oficina foi organizada por Arlinson Kleber da ONG “Equipe de Conservação da Amazônia” e Josineu Garcia da ONG “Conservação Internacional”. Participaram como instrutores Arthur Paiva e Fernando Cardoso ambos da ONG “Conservação Internacional”.


Capacitação em primeiros socorros para Guarda-parques, um pouco de historia capacitando Guarda-parques


Curso oferecido pela Cruz Vermelha Macapaense em parceria com a Equipe de Conservação da Amazônia em janeiro de 2009 para capacitação de 17 guarda-parques em atividades de emergências e socorro médico.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Curso Especial para Tripulação de Embarcações de Estado no Serviço Público – ETSP.

Durante os dias 18 á 23 de junho e de 25 á 30 de junho, se realizará no Estado de Rio Grande do Sul, o curso especial para tripulação de embarcações de estado no serviço público, curso que será dirigido especialmente para os 40 Guarda-parques que prestan serviço nas Unidades de Conservação Estaduais, o curso será realizado na UC do Delta do Jacuí e será ministrado pela Marinha do Brasil em parceria com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente. Este curso responde em parte às varias demandas realizadas pelos Guarda-parques do Rio Grande do Sul, principalmente em matéria de capacitação e treinamento.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Participação em eventos

Durante o mês de Abril o representante do Projeto Guarda-parques (ECAM – FIG) Osvaldo Barassi, participou em dois importantes eventos vinculados à proteção da Amazônia. O primeiro deles teve lugar na cidade de São Paulo o dia 13 de Abril na Fundação Getúlio Vargas (FGV) com o tema “Politicas públicas e arranjos produtivos para uma economia florestal sustentável na Amazônia” o evento foi promovido pela Rede de Amigos da Amazônia e a FGV.  Durante o evento se realizaram palestras vinculadas ao desenvolvimento do setor florestal e as oportunidades econômicas para os moradores da Amazônia. O evento contou com a participação de Virgílio Viana (Fundação Amazonas Sustentável), Marcos Vinicius Alves (Diretor do Serviço Florestal) e Rubens Gomes (Grupo de Trabalho Amazônico) entre outros.

Durante os dias 23 a25 de Abril realizou - se na cidade de Brasília o Seminário Interno da Equipe de Conservação da Amazônia (ECAM) sobre o curso de Guarda-parques ou Agentes Ambientais Indígenas. O principal objetivo do evento foi levantar discussões respeito da formação complementar da ECAM com a intenção aumentar sua criticidade a partir da atuação em formação de várias instituições brasileiras. Segundo Wesley Pacheco (Coordenador Técnico da ECAM) o curso e tem sido um instrumento relevante para a atuação junto às comunidades indígenas. “O evento foi uma reavaliação de nossas ações no tema contando com a cooperação de outras instituições que promovem formações com focos diferenciados, mas, com a mesma finalidade de melhoria do bem estar dos povos indígenas”. Entre os aportes do projeto “Guarda-parques” neste evento, além, das opiniões e discussões proporcionadas foi de apresentar alguns estudos de casos do trabalho dos Guarda-parques Indígenas em países como Equador, Peru e principalmente de Austrália.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

SOS Mata Atlântica promove debate sobre turismo Sustentável em UC’s no ICMBio


Ronald Sanabria, vice-presidente de Turismo da Rainforest Alliance, esteve no dia 24/4 no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em Brasília, para falar sobre turismo sustentável em Unidades de Conservação. Uma realização da Fundação SOS Mata Atlântica, o evento contou com a participação de cerca de 30 representantes do governo, da academia e do setor privado. A Rainforest Alliance já deu treinamentos a funcionários dos ministérios de Turismo da Nicarágua e do Equador, entre outros. Para Mário Mantovani, diretor de Políticas Públicas da Fundação, “o grande desafio é implantar o turismo sustentável nas áreas protegidas no Brasil”. “As Unidades de Conservação ainda ficam fechadas como feudos”. Na opinião de Sanabria, investir mais em campanhas de conscientização para o turismo sustentável é uma estratégia eficaz de conservação ambiental, que alcança todos os atores envolvidos.

terça-feira, 10 de abril de 2012

ONG lança página na internet com informações sobre unidades de conservação ambiental

O espaço virtual concentra dados como o tamanho das unidades, mapas, fotos entre outras.

As principais características de algumas unidades de conservação (UCs) brasileiras, como espécies que habitam o local e biomas existentes, começaram a ser reunidas em uma página da internet criada pela organização não governamental (ONG) WWF Brasil. Mesmo com a falta de dados de algumas regiões, o Observatório de Unidades de Conservação, como foi batizado o projeto, já pode ser consultado por qualquer pessoa.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Reivindicações Guarda-parques Rio Grande do Sul

O sindicato ( SINDSEPE/RS ) é o legítimo representante dos servidores Guarda Parques do Estado do Rio Grande do Sul – Brasil, na busca junto a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, a valorização dos Guarda–Parques.
 Desde 2007, quando foram nomeados os primeiros Guarda Parques, esses servidores trabalham em condições precárias. Neste sentido, informamos que apesar das tentativas de resolver os problemas, até hoje às reivindicações não foram atendidas a contento.
 No pasado dia 21/03/2012, o sindicato entregou mais uma vez ao governo a pauta de reivindicações da categoria. Foi relatado à secretária do meio ambiente Jussara Cony, a luta que os Guarda–Parques
vêm travando desde então para assegurar melhores condições de trabalho.
Deixamos aqui registradas a pauta das reivindicações:

1) Treinamento (Curso de formação);
2) Carteira de Identidade Funcional;
3) Armamentos e munições;
4) Fardamento com reposição (Uniformes), sendo os EPIS relacionados com as atividades inerentes ao cargo.
A implementação destas reivindicações são fundamentais para a segurança dos servidores, ao mesmo tempo, essencial para o perfeito desempenho da função.

Fonte: Guardaparques.blogspot.com

Encontro das Polícias Ambientais e Guarda-Parques do Platô das Guianas


A relação homem - natureza tem se mostrado enfraquecida com o passar dos anos, principalmente porque o ser humano tem visto na natureza uma fonte inesgotável de recursos, administrando, equivocadamente, a maior fonte de riqueza gratuita que existe na face da Terra.

Nesse sentido, busca-se materializar ações efetivas vindas do próprio seio social, que tenham por desígnio esclarecer sobre a noção finita dos recursos naturais, alertando sobre a séria ameaça à vida das presentes e futuras gerações como conseqüência de seu esgotamento.

A Polícia Militar do Estado do Amapá, enquanto órgão da Administração Pública Estadual, competente e legítimo, efetiva constantemente ações de fiscalização e de educação ambiental nos limites do seu território, o que é possível, em virtude da existência da unidade especializada, 3° Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA).

Deste modo, deve-se considerar o relevante papel desempenhado pelo Batalhão Ambiental perante a sociedade amapaense, e muito mais, a possibilidade de lançar o Estado do Amapá no cenário nacional e internacional com a realização do Encontro das Polícias Ambientais e Guarda-Parques do Platô das Guianas, evento este que também fará alusão ao 13° aniversário de criação do Batalhão Ambiental, ocorrendo sob a iniciativa e coordenação da Polícia Militar do Amapá, no período de 05 a 07 de maio de 2010.

Finalmente, entende-se, que é compromisso dos Governos Internacionais, Nacionais e Regionais incentivarem ações de proteção aos recursos naturais, sendo que a consolidação deste importante e audacioso desafio de realizar o Encontro das Polícias Ambientais e Guarda-Parques do Platô das Guianas tem a finalidade de instituir um espaço de reflexões acerca das problemáticas ambientais enfrentadas pela região Amazônica, pelos demais estados brasileiros e países estrangeiros participantes, de forma a eleger os obstáculos comuns, com o fito de discutir estratégias de ação para a elaboração da CARTA DO PLATÔ das Unidades de Polícia Ambiental e Guarda-Parques do Platô das Guianas, principal resultado do encontro.

Fonte: Guardaparques do Brasil

terça-feira, 3 de abril de 2012

Aprovada alteração nos cargos de guarda-parques e guarda municipal

Plenário
O Legislativo Municipal aprovou na tarde desta segunda-feira (3/4), o projeto de lei do Executivo que altera as identificações dos códigos e as especificações das classes dos cargos de provimento efetivo de guarda-parques e guarda municipal. Ao justificar a proposta, o prefeito de Porto Alegre ressalta a necessidade da atualização dos padrões salariais dessas categorias em função das exigências do cargo e da forma de seleção para ingresso do servidor, bem como a evolução do nível de escolaridades desses funcionários. Além da progressão salarial, o referido projeto de lei prevê requisitos mínimos de escolaridade e características físicas para seleção do profissional.

Angélica Sperinde (reg. prof. 7862)

http://cm-p-alegre.jusbrasil.com.br/politica/8575827/aprovada-alteracao-nos-cargos-de-guarda-parques-e-guarda-municipal

segunda-feira, 2 de abril de 2012

6º Curso de Formação de Voluntários em Prevenção e Controle a Incêndios Florestais

Já estão abertas as inscrições para o 6 Curso de Formação de Voluntários em Prevenção e Controle a Incêndios Florestais da REBIO Rebio-araras Inea.
O curso ocorrerá na sede da Unidade de Conservação no período compreendido entre os dias 16 e 20 de abril.
Para participar os candidatos (ambos os sexos) deverão ter entre 18 e 45 anos de idade e comparecer a Reserva Biológica de Araras munidos de cópia da carteira de identidade, CPF, atestado médico comprobatório de capacidade física e mental e 01 foto 3x4.
Maiores informações através do telefone (24) 2225-1975


sexta-feira, 30 de março de 2012

ICMBio realizará Encontro Regional de Conselheiros de UC

Brasília (29/03/2012) – O Núcleo de Gestão Integrada de Tefé (NGI/ICMBio), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), vai realizar entre os dias 20 e 22 de abril, no estado do Amazonas, o I Encontro de Conselhos Gestores de Unidades de Conservação (UC) do Médio e Alto Solimões.

O evento contará com a participação de nove UC da região e será promovido em parceria com a WWF-Brasil. Conta com o apoio da Coordenação de Gestão Participativa do ICMBio e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Esse encontro tem como objetivo principal fortalecer os espaços de participação social na gestão das unidades de conservação da região, levando em consideração a realidade local e visando otimizar e tornar coerentes as ações de proteção da biodiversidade e inclusão social. Também serve para fortalecer a gestão integrada destas UC, otimizando as ações de fiscalização, relacionamento com a comunidade e geração de renda.

A atividade marca o processo de amadurecimento da gestão participativa das unidades de conservação da região do Médio e Alto rio Solimões. Por ser uma região distante dos grandes centros de desmatamento é considerada o “coração da floresta Amazônica”, e tem como foco de gestão a construção de uma agenda positiva à ser desenvolvida junto às comunidades locais.



Parque Nacional Chapada de Diamantina enfrenta seis focos de incêndios.


O Parque Nacional Chapada Diamantina está enfrentando seis focos de incêndio simultaneamente, sendo três em Mucugê (um dentro do Parque e dois no entorno), dois no Vale do Capão e um em Campos do São João.
O ano de 2012 iniciou com um clima atípico, trazendo uma estiagem prolongada para toda a região. Já são centenas de municípios baianos com Estado de Emergência ou Calamidade Publica, decretados por causa da seca.
Nas proximidades do Vale do Capão (município de Palmeiras), os incêndios estão na Serra do Candomba e nas cercanias do Morro Branco, ambos no interior do Parque Nacional.
O incêndio próximo ao povoado de Campos de São João (também no município de Palmeiras) se iniciou na área conhecida como Gerais da Moitinha, fora do Parque Nacional, mas já adentrou na Unidade de Conservação pela Serra da Bacia.
No município de Mucugê, os incêndios encontram-se nas localidades conhecida como: Fazenda Ibicoara, povoado das Caraíbas e nas proximidades de Campo Alegre – sendo esse ultimo dentro do Parque Nacional.
Na Chapada Diamantina os incêndios são a maior ameaça ao Parque Nacional e um grande risco entre os meses de agosto a dezembro. No entanto, pelo clima deste ano, grandes e preocupantes incêndios se iniciaram em janeiro e persistem até o momento.
Os combates a estes incêndios têm sido realizados por dezenas de brigadistas voluntários com o apoio do ICMBio, Governo do Estado da Bahia e pessoas das comunidades próximas. Até o momento já foram mobilizados cerca de 70 brigadistas voluntários, um helicóptero e duas aeronaves estão a caminho.